EFE/EPA
EFE/EPA

Guarda costeira japonesa encontra sete corpos em navio de pesca destruído

Autoridades acreditam que vítimas, já em avançado estado de decomposição, possam ser norte-coreanas

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de dezembro de 2019 | 02h39

A guarda costeira do Japão anunciou neste domingo, 29, que encontrou corpos de sete pessoas em um navio de pesca destruído, possivelmente norte-coreano, encalhado na costa de uma ilha japonesa.

Os corpos foram encontrados no sábado em um navio na costa da ilha de Sado, a cerca de 900 quilômetros da Coreia do Norte. "Cinco dos corpos foram identificados comomasculinos, mas os outros dois não puderam ser identificados porque estavam em avançado estado de decomposição", disse uma autoridade à AFP.

Segundo a mesma fonte, "houve casos semelhantes, mas é a primeira vez que descobrimos corpos em um barco tão danificado nesta ilha este ano".

Segundo o oficial, o casco do navio foi dividido ao meio e, embora nenhuma evidência concreta de sua nacionalidade tenha sido encontrada, é possível ver inscrições em alfabeto coreano no navio.

A imprensa local disse que a polícia japonesa e a guarda costeira estão investigando o caso, suspeitando que seja um navio que partiu da Coreia do Norte.

Neste ano, pelo menos 156 navios de pesca norte-coreanos chegaram às margens do Japão ou foram encontrados à deriva nas águas japonesas, segundo o jornal local Yomiuri Shimbun.

Especialistas apontam que alguns pescadores norte-coreanos viajam cada vez mais longe no mar para cumprir os mandatos do governo sobre o aumento das capturas. Mas seus barcos, velhos e mal equipados, são propensos a problemas mecânicos e esgotamento de combustível no mar. Alguns desses navios chegam à costa japonesa com os tripulantes já mortos e são chamados de "navios fantasmas" pela mídia local.

No ano passado, 10 norte-coreanos resgatados de um pequeno barco de madeira à deriva do norte do Japão foram deportados. Em outubro, cerca de 60 membros de um navio de pesca norte-coreano foram resgatados depois que o navio afundou após uma colisão com uma patrulha japonesa no mar do Japão. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.