Guarda Costeria Cubana mata traficante de emigrantes

A Guarda Costeira de Cuba apreendeu uma embarcação que transportava migrantes cubanos para os Estados Unidos. Na operação, um suspeito morreu e outro ficou ferido. Além disso, 39 pessoas, entre elas 12 mulheres e sete crianças, foram presas temporariamente por suspeitas de que iriam deixar o país na embarcação. As mulheres e as crianças detidas já foram liberadas. A bordo do barco de 40 pés (12 metros), registrado nos Estados Unidos, estavam três homens que se recusaram a parar e atacaram a patrulha da Guarda Costeira. Segundo o jornal local Granma, o confronto ocorreu na manhã da última quarta-feira, na costa da Província de Pinar del Rio. Coiotes Autoridades cubanas disseram que o homem morto não foi identificado porque não portava documentos, e os dois homens detidos não quiseram cooperar com a investigação. Os outros dois suspeitos carregavam passaportes americanos, com os nomes de Rafael Mesa Farinas e Rosendo Salgado Castro. O barco, com o nome de "Tiburon Azul", está registrada pelo americano de origem cubana John Roberto. Ato de Adaptação Cubana A imprensa local criticou a lei americana de 1966, o Ato de Adaptação Cubana, que legaliza a permanência dos cubanos nos Estados Unidos que estiverem em solo americano há mais de um ano. Na atual política americana, a maioria dos migrantes cubanos são recolhidos pela Guarda Costeira do mar e enviados de volta para a ilha, mas aqueles que logram chegar a terras americanas, têm a permissão para permanecer no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.