Guarda Republicana sofre bombardeio ao sul de Bagdá

Aviões da coalizão anglo-americana bombardearam posições da Guarda Republicana cerca de 100 quilômetros ao sul de Bagdá, no que, de acordo com porta-vozes americanos, poderia ser o prelúdio de uma batalha pela capital iraquiana. Segundo o Departamento de Defesa dos EUA, os ataques aéreos tinham causado "significativos danos" à defesa iraquiana, obrigando seus comandantes a mover tropas para reforçar suas posições.Alguns relatos de militares americanos e britânicos informavam que a ofensiva da coalizão tinha partido pela metade a formação da Divisão Medina da Guarda Republicana.Essa divisão guarda o mais externo dos três cinturões preparados para a defesa de Bagdá. Um segundo cinturão está posicionado na periferia da capital e o terceiro, no centro urbano, à espera das tropas invasoras para um combate rua a rua. A Guarda Republicana é uma unidade de elite, mais bem treinada e equipada do que o Exército regular, das Forças Armadas iraquianas.Além das ofensivas aéreas, tropas de terra americanas travam, desde domingo, nas proximidades de Kerbala, o primeiro combate direto com as forças da Divisão Medina. Segundo o Pentágono, paramilitares do grupo Fedayin, leais a Saddam Hussein, reforçam as fileiras da Guarda Republicana nos combates em Hindiyah, entre Kerbala e as ruínas de Babilônia - um ponto-chave para o cruzamento do Rio Eufrates, cerca de 80 quilômetros ao sul de Bagdá.A 3ª Divisão de Infantaria dos EUA utiliza tanques Bradley e canhões de 25 milímetros para debilitar a resistência iraquiana. Helicópteros Apache dão apoio à campanha terrestre no local. Pelo menos 35 combatentes iraquianos teriam sido mortos em Hindiyah, segundo o Pentágono.A porta-voz do Departamento de Defesa, Victoria Clarke, que anunciou em Washington a "considerável debilitação da defesa de Bagdá", admitiu, no entanto, que os combates mais duros ainda estão por vir.Outros oficiais americanos na área assinalaram que centenas de combatentes iraquianos foram mortos, feridos ou aprisionados nos confrontos, mas se negaram a falar das baixas em suas fileiras.Paralelamente a esses combates, aviões americanos e britânicos continuavam a bombardear Bagdá, num esforço para minar ainda mais a defesa da cidade.Mais ao sul prosseguiam os choques entre as forças da coalizão e os iraquianos. O comando central americano (Centcom) no Catar informou hoje ter havido um tiroteio entre marines americanos e forças iraquianas ao sul de Al-Kut, a 150 quilômetros de Bagdá.De acordo com o Pentágono, também foram descobertos, em instalações civis no sul do país, equipamentos de descontaminação química de fabricação americana, com data de validade vencida. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.