Guardas mataram 5 norte-coreanos tentando atravessar fronteira com a China

SEUL - Cinco norte-coreanos morreram e outros dois ficaram feridos em dezembro após serem baleados por guardas da Coreia do Norte na fronteira com a China quando tentavam escapar do regime de Kim Jong-il, informou nesta terça-feira o jornal sul-coreano Chosun Ilbo.

Efe,

11 de janeiro de 2011 | 05h18

Fontes oficiais na localidade chinesa de Changbai, na província de Jilin, disseram ao periódico que as mortes aconteceram em 14 de dezembro no lado chinês da fronteira e que os sete desertores já haviam atravessado as águas geladas do rio Yalu, que serve como demarcação natural.

Segundo as fontes, os desertores provinham da localidade de Hyesan, na província de Yanggang, e foram surpreendidos pelos guardas de fronteira norte-coreanos, que começaram a disparar enquanto os perseguiam.

Cinco dos refugiados morreram no local, enquanto os dois feridos foram capturados e levados de volta à Coreia do Norte, de acordo com o diário sul-coreano.

A fronteira com a China é a mais utilizada pelos norte-coreanos para tentar escapar do regime de Kim Jong-il, e durante todo o ano habitantes do país morrem tentando realizar a travessia.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do SulChinaÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.