Guatemala admite desistir de disputa na ONU

A Guatemala admitiu abdicar de sua candidatura em favor de um terceiro país para que se chegue a uma decisão na escolha do substituto da Argentina como um dos representantes da América Latina no Conselho de Segurança da ONU.Sem conseguir chegar a um resultado, depois de 35 rodadas, a votação na Organização das Nações Unidas(ONU) foi suspensa até quarta-feira.A Guatemala sempre teve uma votação maior, mas ainda assim, não conseguiu garantir os dois terços necessários para vencer o pleito e ocupar o posto pela primeira vez em sua história.Sua oponente, a Venezuela, disse que não pretende desistir da disputa.DesistênciaNo entanto, o ministro das Relações Exteriores da Guatemala, Gert Ronsenthal, disse que seu país só desistiria da corrida se a Venezuela fizesse ?o mesmo?. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, não deu sinais de que estaria disposto a abandonar a disputa. O discurso radical antiamericano tem lhe garantido o apoio de países que não simpatizam com os Estados Unidos, mas é um entrave no que concerne os votos de influentes grandes potências.Abertamente favoráveis à candidatura guatemalteca, os Estados Unidos argumentam que a Venezuela vai tornar as votações inviáveis com sua oposição sistemática.Segundo a correspondente da BBC nas Nações Unidas, Laura Trevelyan, os diplomatas já estão demonstrando sinais de irritação com o impasse.A suspensão da votação dura até quarta-feira, por causa de um feriado muçulmano. A pausa vai permitir que os países latino-americanos e caribenhos se reunam para decidir o que fazer.Costa Rica e Bolívia tiveram um voto cada quando fizeram parte da disputa por algumas horas.Costa Rica, Panamá e Uruguai são os países cotados como possíveis candidatos, caso as candidaturas de Guatemala e Venezuela sejam abandonadas.Em 1979, uma disputa entre Cuba e Colômbia levou três meses para ser resolvida e acabou dando o lugar ao México, que se propôs como nome de consenso.Para John Bolton, embaixador americano nos Estados Unidos, a atitude ?honrada? para a Venezuela seria desistir de sua candidatura.O Conselho de Segurança tem cinco membros permanentes (China, Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha e França) e dez rotativos (com mandatos de dois anos), que se distribuem entre os blocos regionais - África, América Latina, Ásia e Europa.Os representantes das outras regiões escolhidos nesta votação foram Indonésia, África do Sul, Itália e Bélgica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.