Guatemala denuncia agressão a jornalistas em Honduras

O governo da Guatemala denunciou hoje para a Organização dos Estados Americanos (OEA) que militares de Honduras prenderam e agrediram dois jornalistas guatemaltecos em Tegucigalpa. O governo do presidente Álvaro Colom pediu a intervenção da Comissão Interamericana de Direitos Humanos no caso.

AE-AP, Agencia Estado

28 de setembro de 2009 | 14h33

O embaixador da Guatemala na OEA, Jorge Skinner, disse em uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da entidade que os jornalistas Alberto Cardona e Rony Sánchez, da emissora Guatevisión, foram agredidos e submetidos a "vexames". O paradeiro dos profissionais era desconhecido. "Ao não saber de seu paradeiro e de sua condição física, o governo da Guatemala responsabiliza as autoridades do governo de facto pela segurança e pelo bem-estar dos jornalistas", afirmou Skinner.

O Conselho Permanente da OEA marcou uma nova sessão extraordinária após o governo de facto hondurenho rechaçar a entrada de uma missão do organismo hemisférico para preparar uma visita de chanceleres, além de suspender diversas garantias individuais no país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.