Guatemala: Ex-ditador é condenado por genocídio

O ex-ditador guatemalteco Efraín Ríos Montt foi condenado nesta sexta-feira a 80 anos de prisão por genocídio e crimes contra a humanidade.

AE, Agência Estado

10 de maio de 2013 | 20h13

A condenação contra o ex-general de 86 anos de idade encerra um julgamento iniciado há quase dois meses que contou com depoimentos de dezenas de vítimas sobre as atrocidades cometidas contra comunidades indígenas no início da década de 1980.

O painel de três juízes acatou a argumentação da promotoria de que Ríos Montt tinha conhecimento dos massacres de comunidades maias perpetrados entre março de 1982 e agosto de 1983, auge da guerra civil de 36 anos no país.

Ríos Montt alegou que não ordenou os massacres e que não travou conhecimento dos crimes na época em que governou a Guatemala.

A guerra civil entre o governo guatemalteco e rebeldes de esquerda custou mais de 200 mil vidas e foi encerrada somente em 1996. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GUATEMALAGENOCÍDIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.