Guatemala remove 10,6 mil pessoas para abrigos após erupção do vulcão 'Fuego'

Alerta será mantido por pelo menos 12 horas e número de pessoas removidas pode aumentar para 33 mil

EFE,

14 de setembro de 2012 | 04h10

GUATEMALA - Cerca de 10,6 mil pessoas foram retiradas de uma cidade da Guatemala na noite desta quinta-feira, 13, depois que o vulcão 'Fuego', um dos mais ativos do país, entrar em erupção. A nuvem de fumaça e cinzas chegou a 3 km de altura.

Fortes explosões surgidas do interior do vulcão ativaram os alarmes dos postos de controle do Instituto Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (Insivumeh). Segundo Alejandro Maldonado, diretor da Coordenadora Nacional para a Redução de Desastres (Conred), "houve um processo de 'retirada em massa' da área de perigo e os moradores foram enviados para abrigos, onde receberam comida, água e cobertores".

O alerta será mantido por pelo menos 12 horas. Após esse período, será avaliado se é seguro que as pessoas voltem para casa. Alejandro Maldonado disse ainda que, se necessário, o número de pessoas removidas pode aumentar para 33 mil. Autoridades de diferentes instituições do sistema de proteção civil estão em alerta. 

A vice-presidente da Guatemala, Roxana Baldetti, chegou aos primeiros albergues montados em edifícios públicos de Santa Lúcia Cotzumalguapa para coordenar a assistência às pessoas.

O vulcão 'Fuego' retomou atividades neste ano e autoridades reportaram queda de areia vulcânica em Escuintla, Mazatenango, Retalhuleu, San Marcos e também na fronteira com o México. 

Relatório do Ministério de Comunicações, Infraestrutura e Habitação da Guatemala (Insivumeh) assinala que os 'fluxos piroclásticos' expulsos pelo vulcão cobriram uma área de sete quilômetros nas zonas sul e sudoeste da montanha e que a lava lançada pelo vulcão supera os 700Cº.

De acordo com um vulcanólogo do Insivumeh, "esta é a erupção mais forte que se registra no vulcão Fuego desde 1999, inclusive maior do que as de 2002 e 2003". O vulcão 'Fuego' fica 3.760 metros acima do nível o mar, entre Sacatepéquez, Chimaltenango e Escuintla. Está em atividade constante desde 1999.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
VulçãoerupçãocinzaslavaGuatemala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.