Guerra agora é mais provável do que nunca, admite Europa

A Comissão Européia admitiu hoje, por meio de uma declaração de seu presidente, Romano Prodi, que a "guerra agora é mais provavel do que nunca", em referência às declarações dos líderes George W. Bush (EUA), Tony Blair (Reino Unido) e José Maria Aznar (Espanha), que hoje é o último dia para que o Iraque se desarme. "Mesmo que a guerra agora seja mais provável do que nunca, a Comissão Européia convoca todos os países" com votos no Conselho de Segurança para que "façam um último esforço para encontrar uma solução pacífica" ao problema do Iraque, afirma Prodi.A Comissão Européia, braço executivo da UE, diz também que "lamenta profundamente que o Conselho de Segurança pareça incapaz de encontrar um consenso sobre o Iraque" e ainda lamenta que a "UE não esteja sendo capaz de conseguir uma posição comum" sobre o assunto.Prodi afirmou que "este é um momento grave e difícil para a comunidade internacional" e, por isso, "é também evidente que a comunidade internacional e a União Européia (UE) estejam divididos". A referência é feita ao alinhamento entre Estados Unidos, Espanha e Reino Unido, contra a posição da última Cúpula dos líderes europeus, em 17 de fevereiro, quando ficou decidido que qualquer intervenção militar no Iraque seria tomada em consenso com o Conselho de Segurança das Nações Unidas.Prodi reforçou ainda que os países europeus devem trabalhar juntos para rever os danos potenciais a longo prazo que as Nações Unidas possam ter com uma possível declaração de guerra à margem das decisões do Conselho de Segurança.

Agencia Estado,

17 de março de 2003 | 10h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.