Guerra agrava desnutrição de crianças no Iraque

Praticamente dobrou o número de crianças iraquianas malnutridas desde a invasão dos Estados Unidos, apesar dos esforços das Nações Unidas para entregar alimentos no país, informa um grupo de pesquisa norueguês. Desde a invasão de março de 2003, a má nutrição entre crianças de seis meses a 5 anos cresceu de 4% para 7,7%, disse Jon Pedersen, do Instituto Fafo para Ciência Social Aplicada, baseado em Oslo, Noruega, que promoveu a pesquisa.O escritório do Programa de Desenvolvimento da ONU e o Escritório Central para Informação e Estatística e Tecnologia da Informação do Iraque também participaram da pesquisa. "Chegou-se ao nível de alguns países africanos", disse Pedersen. " Naturalmente, nenhuma criança deveria ser malnutrida, mas quando você alcança níveis de 7% a 8%, é um claro sinal de preocupação". O estudo de 22.000 lares iraquianos em abril e maio sugere que cerca de 400.000 crianças sofrem com o problema. Autoridades do governo interino iraquiano confirmaram os números.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.