Bassam Khabieh/Reuters
Bassam Khabieh/Reuters

Guerra civil na Síria mata cinco mil pessoas por mês, afirma ONU

Fluxo de refugiados é o pior desde o genocídio de 1994 em Ruanda, diz alto comissário Guterres

AE, Agência Estado

16 de julho de 2013 | 13h53

NAÇÕES UNIDAS - A guerra civil que há mais de dois anos aflige a Síria mata aproximadamente 5 mil pessoas por mês e o fluxo de refugiados é o pior ocorrido no mundo desde o genocídio de 1994 em Ruanda, advertiram nesta terça-feira, 16, altos funcionários da Organização das Nações Unidas (ONU).

O secretário-geral adjunto da ONU para os direitos humanos, Ivan Simonovic, disse ao Conselho de Segurança (CS) da entidade que "a taxa extremamente elevada de mortes (...) demonstra a drástica deterioração do conflito."

Já o alto comissário da ONU para refugiados, Antonio Guterres, afirmou que mais de dois terços dos quase 1,8 milhão de refugiados do conflito deixaram o país a partir do início de 2013, numa média de mais de 6 mil pessoas por dia. "Nós não víamos uma escalada tão assustadora no fluxo de refugiados desde o genocídio em Ruanda, quase 20 anos atrás", disse ele.

Na mesma sessão do CS, a secretária-geral adjunta da ONU para assuntos humanitários, Valerie Amos, acusou governo e oposição de "sistematicamente e, em muitos casos, deliberadamente" não cumprirem com a obrigação de proteger a população civil./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaONUrefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.