Guerra colombiana é a pior crise do hemisfério, diz ONU

A guerra civil colombiana, alimentada pelo narcotráfico, criou a pior crise humanitária do Ocidente, com mais de dois milhões de pessoas forçadas a abandonar seus lares e diversas tribos indígenas ameaçadas de extinção, informa o subsecretário-geral de Assuntos Humanitários das Nações Unidas, Jan Egeland, alertando para o fato de que a situação se deteriora. Ele disse, em entrevista coletiva, que é hora de o Estado colombiano, a elite colombiana e a comunidade internacional fazerem muito mais para tratar do que chamou de ?uma crise humanitária largamente esquecida?. Após 39 anos de guerra civil, a Colômbia agora tem a terceira maior população deslocada do mundo, atrás apenas do Congo e do Sudão, segundo Egeland. ?A Colômbia é, portanto e com larga margem, a maior catástrofe humanitária do hemisfério ocidental?, disse. ?Tem o maior número de matanças do hemisfério ocidental. É o maior problema humanitário, de direitos humanos e o maior conflito do hemisfério ocidental?. Embora a situação de segurança tenha melhorado no último ano, com menos seqüestros e assassinatos, ?a situação humanitária continua a piorar?, disse, porque colombianos pobres, na zona rural, vêm sendo atacados e forçados a fugir de suas casas por bandos armados. ?A Colômbia tem tido uma crescente guerra suja, na qual forças paramilitares e guerrilheiros sistematicamente atacam a população civil, os camponeses que um lado acredita estar apoiando o outro?. Isso, segundo Egeland, leva a uma crescente favelização nas áreas urbanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.