AP Photo/ Manuel Balce Ceneta
AP Photo/ Manuel Balce Ceneta

'Guerra da Coreia vai acabar', tuíta Trump, elogiando encontro dos líderes Kim e Moon Jae-in

Reunião resultou em promessa de livrar a península coreana de armas nucleares; presidente americano deve se encontrar com Kim em maio ou junho

O Estado de S.Paulo

27 Abril 2018 | 09h47

WASHINGTON - O presidente Donald Trump reivindicou crédito pela cúpula histórica intercoreana e insistiu que os Estados Unidos não serão manipulados pelo líder norte-coreano Kim Jong-un. Ele criticou os que duvidam que o ditador esteja realmente disposto a abandonar as armas nucleares. "Eu não acho que ele já teve esse entusiasmo por alguém, por eles quererem fazer um acordo", disse Trump no Salão Oval, durante encontro com a chanceler alemã Angela Merkel nesta sexta-feira, 27.

Ele se pronunciou horas depois de Kim se tornar o primeiro líder norte-coreano a visitar o sul da linha de demarcação entre os dois países. Kim e Moon se comprometeram em buscar um final formal para a Guerra da Coreia até o fim de 2018 e em livrar a península coreana de armas nucleares. "Quando eu comecei, as pessoas diziam que isso era impossível", falou Trump, durante aparição com atletas olímpicos que participaram das Olimpíadas de Inverno em Seul. "Eles disseram que havia duas alternativas: deixe-os ter o que têm ou vá à guerra. E agora nós temos uma alternativa muito melhor do que qualquer um pensava ser possível", afirmou o presidente americano.

+ Em encontro histórico na Coreia do Sul, Kim fala em ‘novo capítulo’ e ‘era da paz’

+ Análise: Estamos nos preparando para que a cúpula Trump-Kim dê errado. Mas e se der certo?

+ Análise: Trump já está sendo manipulado por Kim Jong-un

Mais cedo, Trump comemorou o encontro . "A Guerra da Coreia vai acabar", tuitou o líder americano.  O presidente deve se encontrar com Kim no final de maio ou em junho. Ele afirmou que os EUA e todos os seus habitantes devem estar muito orgulhosos pelo encontro entre as duas Coreias. Em outra postagem, Trump disse que "coisas boas estão acontecendo, mas só o tempo dirá", sendo cauteloso sobre os resultados que serão alcançados depois do encontro. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.