'Guerra' de clientes por produtos faz até ministro de vítima

CENÁRIO: Felipe Corazza

O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2015 | 02h00

No início de janeiro, o ministro da Alimentação da Venezuela, Yvan José Bello, organizou uma operação de mídia para mostrar que não havia desabastecimento de produtos nos mercados do governo. Bello, com outros três integrantes da cúpula do governo de Nicolás Maduro, participaria da reinauguração dos Abastos Bicentenário, supermercado na região central de Caracas. O ministro estava acompanhado pelo vice-presidente para a Soberania Alimentar, Carlos Osorio. Durante a visita, jornalistas perguntaram ao ministro se não havia notado que faltava leite nas prateleiras.

Os chavistas responderam que havia, no entanto, frango para todos. Quando chegaram à geladeira onde estaria o frango, não havia nada. Uma nova carga foi providenciada. Enquanto Osorio acompanhava o processo de reposição da mercadoria, consumidores que haviam aguardado em fila durante algumas horas avançaram sobre o frango, deixando a autoridade "presa" na parte lateral da geladeira.

O episódio virou uma piada interna de algumas correntes chavistas como "o caso do frango voador". As imagens de Osorio tentando acalmar a população enquanto lutava para se desvencilhar da geladeira de frango foram registradas com telefones celulares. A escassez levou os venezuelanos a formar filas nas portas de supermercados mesmo sem ter certeza do que vão encontrar nas prateleiras.

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.