Guerra no Afeganistão já matou mil soldados dos EUA

O número de soldados norte-americanos mortos no Afeganistão atingiu 1.000 nesta sexta-feira, num momento em que a estratégia do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para derrotar o grupo fundamentalista Taleban entra numa etapa crucial - uma ambiciosa campanha para conquistar uma população afegã decepcionada, no coração do território dos insurgentes, no sul afegão.

AE-AP, Agência Estado

28 Maio 2010 | 19h34

Os resultados da campanha poderão determinar o desfecho de uma guerra de quase nove anos, que virou a "Guerra de Obama" após o presidente americano centrar o foco contra o extremismo no Afeganistão.

O marco sinistro foi alcançado quando uma bomba explodiu à beira de uma estrada e matou o soldado, na véspera do feriado do Memorial Day, neste final de semana, quando os EUA lembram os seus soldados caídos nas guerras.

O comunicado da Organização do Tratado do Atlântico Norte(Otan) não identificou a vítima ou informou a nacionalidade dela. Mas o porta-voz do Exército dos EUA, coronel Wayne Shanks, disse que o soldado era norte-americano. Segundo uma contagem da Associated Press, foi o 32º soldado dos EUA morto neste mês no Afeganistão.

Mais conteúdo sobre:
AfeganistãosoldadosEUAmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.