Guerra no Iraque coloca palestinos em alerta

Um porta-voz do grupo fundamentalista Hamas, Abdelaziz Rantisi, manifestou seu temor de que o governo do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, aproveite a provável guerra americana no Iraque para "aumentar os assassinatos e as deportações de palestinos". "Nossa guerra é contra a ocupação israelense. Com ou sem guerra no Iraque, os israelenses ocupam nossas terras e os palestinos, incluindo o Hamas, continuarão resistindo. Nós já estamos vivendo em guerra e para nossas vidas não haverá grande diferença", disse Rantisi à Agência Ansa. A opinião do porta-voz do Hamas é compartilhada por Mohamed Gazal, de 35 anos, que está armazenando água e comida em Firas, no centro da Faixa de Gaza. "Estou certo de que, assim que a guerra começar, os israelenses a aproveitarão para desencadear outras agressões e humilhar-nos ainda mais, porque o resto do mundo estará muito ocupado em acompanhar o que acontece no Iraque", afirmou. Outro palestino, Ahmad Harbi, de 29 anos, lembrou que "em 1991 a atmosfera era a mesma que se respira hoje". "Os israelenses impuseram um toque de recolher generalizado na Faixa de Gaza e na Cisjordânia. Não podíamos sair de casa", recordou.Ao mesmo tempo, o ministro do Abastecimento da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Abdel Shahien, indicou que "os israelenses confiscaram os fundos da ANP e não temos dinheiro para estocar comida suficiente". "Temo que durante esta guerra os palestinos enfrentarão condições de vida difíceis e trágicas", acrescentou. O noticiário até 18/3/2003Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.