Guerrilha anuncia sucessor de Reyes

Substituto será Joaquín Gómez, responsável por ações na fronteira sul

France Presse, Bogotá, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

As Farc anunciaram ontem que Joaquín Gómez, um engenheiro educado na ex-União Soviética de 60 anos, substituirá Raúl Reyes no secretariado, a cúpula do grupo guerrilheiro. Gómez, cujo nome verdadeiro é Milton de Jesús Toncel, é o atual comandante do chamado Bloco Sul das Farc, que atua nos departamentos colombianos na fronteira com o Equador e o Peru.Ele era um dos homens mais próximos de Reyes. Os dois integraram o grupo de negociadores no fracassado diálogo de paz com o governo Andrés Pastrana (1998-2002). Gómez foi encarregado de ler a mensagem que o comandante das Farc, Manuel Marulanda, preparou para a cerimônia de abertura desse diálogo, em janeiro de 1999, quando o líder guerrilheiro recusou-se a participar do ato público com Pastrana, alegando razões de segurança.Apesar disso, Gómez é considerado um membro da linha-dura das Farc. Os EUA o responsabilizam por operações de narcotráfico e oferece recompensa de US$ 2,5 milhões por sua captura.O guerrilheiro nasceu em 18 de março de 1947 no povoado de Barrancas, no norte da Colômbia. Ingressou nas Farc no início dos anos 80 e é considerado o estrategista de ataques em massa do grupo a postos militares para a tomada de reféns.O primeiro desses ataques, contra a base militar de Las Delicias, no sul do país, em agosto de 1996, rendeu à guerrilha 60 "prisioneiros". Os militares foram entregues pelo próprio Gómez a uma comissão de diplomatas e delegados estrangeiros em junho de 1997, depois que o governo do então presidente Ernesto Samper (1994 a 1998) desmilitarizou o povoado de Cartagena de Chairá. POR TRÁS DA TENSÃOÁlvaro Uribe Sofre pressão interna para negociar a libertação dos reféns em poder das Farc Parentes de reféns o acusam de não trabalhar para que os cativos sejam soltos É acusado de ter ligações com grupos paramilitares de ultradireita, que combatem a guerrilha Tachado pela oposição de centralizador e autoritárioRafael CorreaLuta para recuperar o país de uma década de crise política, período no qual teve sete presidentesSofre dura pressão da oposição, que combate o programa socialista que ele quer implementar no país pela Assembléia ConstituinteNão tem nenhum deputado no Congresso, já que seu partido boicotou as eleições legislativas de 2006Sofre duras críticas por sua aliança com Hugo ChávezHugo ChávezCriticado por não trabalhar pela libertação dos reféns venezuelanos das FarcSofre pressão de opositores, que estão cada vez mais fortalecidos Está ameaçado de perder apoio político, já que maioria de seus candidatos deve sair derrotada das eleições municipais e estaduais, no fim do anoPaís sofre com alta de preços; inflação em 2007 foi de 22,5% - o maior índice da regiãoCresce insatisfação da população, por causa do crescente desabastecimento de produtos básicos e do aumento da violência Em dezembro, foi derrotado no referendo sobre a reforma constitucionalCRONOLOGIA 10/1: Missão liderada pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, resgata as reféns Consuelo González de Perdomo e Clara Rojas, reféns das Farc 11/1: Chávez pede que Farc sejam retiradas da lista de organizações terroristas. Bogotá rejeita proposta 13/1: Chávez nega que Farc tenham reféns venezuelanos em seu poder 14/1: Presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, pede ao líder colombiano, Álvaro Uribe, e às Farc que cheguem a acordo para libertar reféns 15/1: Provas de vida de oito reféns trazidas por Clara e Consuelo são divulgadas 16/1: Chávez acusa militares colombianos de conspirar com EUA para matá-lo e iniciar um conflito entre Colômbia e Venezuela 17/1: Bogotá nega acusações de Chávez. Emissora de rádio colombiana ?La W? diz que Farc soltarão cinco reféns políticos 21/1: Jornal ?El Nuevo Herald?, de Miami, diz que Caracas fornece regularmente munição para Farc 22/1: Venezuela envia 1,2 mil guardas para reforçar a vigilância na fronteira com a Colômbia para evitar contrabando de alimentos e combustíveis na região 24/1: Popularidade de Uribe atinge 81%, segundo pesquisa do Instituto Gallup 25/1: Senadora colombiana Piedad Córdoba confirma que Farc planejam libertar mais reféns 26/1: Uribe ordena que Exército localize e cerque acampamentos das Farc onde há reféns. 28/1: Simón Trinidad, comandante das Farc, é condenado por um tribunal dos EUA a 60 anos de prisão pelo seqüestro de três americanos 3/2: Farc anunciam que vão libertar três reféns que estão doentes 4/2: Milhões de manifestantes protestam contra as Farc em 150 cidades do mundo 27/2: Farc libertam quatro reféns: Gloria Polanco, Luis Eládio Pérez, Jorge Eduardo GÉchem e Orlando Beltrán 1/3: Operação militar colombiana no Equador mata Raúl Reyes, número 2 das Farc 2/3: Presidente equatoriano, Rafael Correa, e Chávez enviam soldados à fronteira após ofensiva da Colômbia 3/3: Colômbia acusa Chávez de ter dado US$ 300 milhões às Farc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.