Guerrilha ataca oleoduto da Colômbia

Supostos guerrilheiros fizeram explodir um trecho do importante oleoduto Caño Limón-Coveñas, por onde passam 110.000 barris diários de petróleo, dirigidos principalmente à exportação. Segundo informaram fontes militares à Associated Press, presume-se que a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) seja a responsável pelo atentado de quinta-feira em uma zona rural do município de Arauquita, 390 km a nordeste de Bogotá. Só este ano, a guerrilha realizou oito atentados contra esse oleoduto, e as forças de segurança conseguiram impedir outros 20. Em função do ataque, o bombeamento do petróleo foi suspenso e foram enviados técnicos ao local para avaliar os danos. Devido à intensa campanha rebelde de sabotagens contra a indústria petrolífera na região, instrutores das forças especiais dos EUA estão treinando tropas do Exército colombiano para a proteção do campo de Caño Limón e do oleoduto de 780 km de extensão que conduz o petróleo ao porto caribenho de Coveñas. Essa jazida é a segunda mais importante da Colômbia, e é operada pela empresa estatal Ecopetrol e pela companhia americana Occidental Petroleum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.