Guerrilha ataca várias zonas da Colômbia

A guerrilha atacou um pequeno município do sul da Colômbia onde morreram dois civis, e colocou explosivos em uma ponte, uma casa de apostas e uma universidade, enquanto autoridades informaram que houve nove mortos em um confronto com paramilitares. Um comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) atacou nesta segunda-feira cedo Algeciras, um município situado a 310 km ao sul de Bogotá, e entrou em confronto com forças da polícia e do Exército. Na troca de tiros, dois civis morreram, informou o general Gabriel Contreras, segundo comandante do Exército. Ele comentou que houve "uma contundente e imediata resposta da força pública ao ataque" - o quarto em menos de dois meses contra Algeciras. Em Medellín, a segunda cidade do país, supostos guerrilheiros lançaram nesta madrugada um explosivo contra uma casa de apostas que ficou avariada, informou o general Leonardo Gallego, comandante da polícia local. As Farc também dinamitaram uma ponte perto de San Luís, município a 380 km ao norte de Bogotá, mas não chegou a abalar sua estrutura. E em Neiva, capital do departamento (estado) de Huila, a 220 km ao sul de Bogotá, uma bomba explodiu na Universidade Surcolombiana, ferindo o autor do atentado, informou a polícia local. Um total de 1.559 guerilheiros morreram durante o ano de 2002, informou hoje o Exército colombiano, e as Farc foram o alvo mais castigado pelos militares, com a morte de 1.176 membros de suas fileiras e a captura de outros 1.885, informou a mesma fonte. Um membro da cúpula das Farc - Milton de Jesús Toncell, vulgo "Joaquín Gómez" - foi ferido há mais de um mês em um dos ataques das forças militares com apoio da Aviação. No mesmo ataque, contra uma base rebelde nos departamentos de Vaupes e Vichada, vários dos companheiros de Toncell morreram. Nas ações contra o Exército de Libertação Nacional (ELN) o segundo grupo rebelde do país, morreram 349 rebeldes e outros 489 foram capturados pelas tropas em diferentes regiões colombianas, segundo dados militares. E na luta contra as ultradireitistas Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), o Exército indicou amorte de 168 paramilitares e a captura de 747.

Agencia Estado,

30 Dezembro 2002 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.