Guerrilha chechena reivindica atentado contra Nevski Express

Cerca de 60 pessoas ficaram feridas quando o trem descarrilou

EFE,

22 de setembro de 2007 | 05h36

A guerrilha separatista chechena reivindicou neste sábado, 22, a autoria do atentado com bomba de 13 de agosto contra o Nevski Express, um trem rápido entre Moscou e São Petersburgo. O comando Riadus Salijiin, que era liderado pelo mais famoso guerrilheiro checheno, Shamil Basayev, assumiu a responsabilidade pela bomba, informou a emissora de rádio "Eco de Moscou". Cerca de 60 pessoas ficaram feridas quando o trem descarrilou, a 166 quilômetros de São Petersburgo. Foi o maior atentado contra as ferrovias russas desde 5 dezembro de 2003, quando uma bomba matou 46 pessoas no Cáucaso Norte. A bomba explodiu a 30 metros da ponte sobre o rio Bugra. Segundo os investigadores, a velocidade do trem, que ia a 190 km/h, e a perícia do maquinista, que utilizou o freio de emergência, evitaram uma tragédia. O atual líder da guerrilha chechena, Doku Umarov, reconheceu que o grupo se encontra em dificuldades, devido à falta de financiamento.

Tudo o que sabemos sobre:
GUERRILHACHECHENIAatentadotrem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.