Guerrilha das Farc quer reunião com Grupo do Rio

A guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia quer marcar uma reunião com o Grupo do Rio para expor sua própria versão sobre o conflito interno do país. O encontro, dizem as Farc, dará mais elementos para que os governantes latino-americanos analisem seu apoio ao presidente colombiano, Alvaro Uribe. A iniciativa das Farc ocorre depois de os 19 países do Grupo do Rio terem emitido uma declaração em 23 de maio no Peru na qual se comprometeram a solicitar ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, que peça para os guerrilheiros declararem um cessar-fogo e aceitarem um diálogo de paz transparente.Caso esse objetivo não se concretize, os países latino-americanos advertiram que outra solução deve ser buscada para o conflito na Colômbia, que a cada ano deixa 3.500 mortos, embora a hipótese de uma intervenção armada multilateral nunca tenha sido abordada diretamente.Durante o encontro, alegam as Farc, os integrantes do Grupo do Rio tomariam conhecimento direto, ?de viva voz?, dos argumentos políticos ?indispensáveis? para uma avaliação sobre a conveniência de apoiarem o governo de Uribe. O mediador do encontro seria o comandante rebelde Raúl Reyes, que dirige a comissão internacional do principal grupo insurgente da Colômbia.Em sua ?Carta aberta aos presidentes integrantes do Grupo do Rio?, datada de domingo, as Farc mais uma vez rejeitam a mediação das Nações Unidas para pôr fim à guerra civil, dizendo que o conflito deve ser resolvido ?pelos próprios colombianos, em sua pátria e sem qualquer tipo de ingerência?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.