Guerrilha do ELN seqüestra italiano na Colômbia

Guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) foram os autores do seqüestro do turista italiano Claudio Brugnani, informou nesta sexta-feira o coronel Carlos Arévalo, diretor do Grupo Anti-Seqüestro e Antiextorsão do Exército. "Guerrilheiros da Frente Carlos Alirio Buitrago, do ELN, o seqüestraram nesta quinta-feira pela manhã em uma emboscada nas proximidades do município de San Luis, na rodovia entre Medellín e Bogotá", disse o coronel Arévalo à Associated Press. Brugnani, de 32 anos, havia chegado à Colômbia em 14 de janeiro para visitar sua noiva colombiana Ana Milena Botero, de 24 anos, com quem viajava de Medellín para Bogotá, quando foi capturado pela guerrilha. Sua noiva foi deixada em liberdade. Fontes italianas em Bogotá informaram que Brugnani, natural de Brescia, é um simples trabalhador que se dedica à jardinagem e não tem dinheiro para pagar os altos resgates habitualmente exigidos pela guerrilha de seus reféns estrangeiros e colombianos. O rapto também foi confirmado pela Chancelaria italiana em Roma. Em apenas dois meses deste ano, o ELN e as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) seqüestraram 11 estrangeiros no país, informou o coronel Arévalo. A Colômbia tem o mais alto índice de seqüestros do mundo. No ano passado, 3.041 pessoas foram raptadas, das quais 70% executadas pelos dois grupos rebeldes, segundo estatísticas da Fundação País Livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.