Guerrilha escapou de Faluja, crêem militares

O rápido avanço das forças militares americanas sobre a cidade iraquiana de Faluja talvez tenha custado um dos principais objetivos da operação: capturar ou matar o máximo possível de rebeldes ou terroristas. Relatórios militares mostram que guerrilheiros realmente fugiram da cidade em pequenos bandos de até 15 homens nos dias e semanas que antecederam a ofensiva americana, amplamente divulgada por autoridades locais e pela imprensa. "Talvez seja por isso que tenhamos avançado tão rápido assim", comentou um oficial da 1ª Divisão de Cavalaria do Exército dos Estados Unidos, que pediu para não ser identificado. As insurgências costumam caracterizar-se por evitar batalha franca com forças militares maiores ou mais fortes. Em vez disso, elas tipicamente atacam os pontos fracos de seus inimigos. Na opinião do oficial não identificado, os guerrilheiros que fugiram de Faluja podem simplesmente estar se reposicionando para dar seqüência à rebelião em outro lugar. "Nós ficamos tanto tempo avisando que iríamos atacar que aqueles que ficaram provavelmente queriam morrer", comentou a fonte militar. Há rumores de que dois dos principais líderes guerrilheiros, o xeque Abdullah al-Janabi e Omar Hadid, teriam morrido, mas a fonte comentou que existe a percepção de que os principais líderes e combatentes saíram da cidade, deixando para trás guerrilheiros dispostos a lutar até a morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.