Guerrilha muçulmana liberta 6 soldados nas Filipinas

Libertação acontece uma semana depois de terem sido retomadas em Kuala Lumpur, as negociações para pôr fim a quatro décadas de conflito étnico, religioso e tribal

Efe,

16 de fevereiro de 2011 | 04h08

A guerrilha muçulmana Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) nas Filipinas anunciou nesta quarta-feira, 16, a libertação de seis soldados capturados no último sábado, enquanto as conversas de paz com o governo prosseguem na Malásia.

O porta-voz do FMLI, Eid Kabalu, indicou que os soldados foram postos em liberdade na tarde de terça-feira, 15, e entregues a uma equipe de monitores do cessar-fogo na cidade de Cotabato, 960 quilômetros ao sul de Manila.

Os soldados foram aprisionados no sábado ao serem surpreendidos observando a atividade de dois comandantes rebeldes da guerrilha.

"Estavam vestidos à paisana e armados com pistolas e granadas quando nossas forças interceptaram-nos", assinalou Kabalu em uma nota oficial.

A libertação acontece uma semana depois de terem sido retomadas em Kuala Lumpur, capital da Malásia, as negociações para pôr fim a quatro décadas de conflito étnico, religioso e tribal que deixaram milhares de mortos e dois milhões de refugiados em uma das áreas mais pobres das Filipinas.

Nos últimos meses, ambas as partes deram declarações de boa vontade e o presidente filipino, Benigno Aquino, mostrou-se disposto a adequar a Constituição para um possível novo status das regiões islâmicas do sul do arquipélago.

A FMLI é o maior grupo separatista das Filipinas, com cerca de 12 mil combatentes regulares.

Tudo o que sabemos sobre:
guerrilhamuçulmanalibertação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.