Guerrilha nigeriana ataca Exército e ameaça petrolíferas

Movimento do Delta do Níger afirma que sequestro navio e fez 15 reféns estrangeiros na quarta-feira

Agências internacionais,

14 de maio de 2009 | 07h13

O Movimento para a Emancipação do Delta do Níger (MEND, na sigla em inglês), principal grupo armado da Nigéria, declarou ter lançado dois ataques contra o Exército e voltou a advertir as empresas de petróleo que operam no sul da região para que evacuem suas equipes antes da "chegada de um furacão iminente". O grupo afirmou que um "grupo aliado" capturou um barco com 15 tripulantes estrangeiros.

 

"As companhias de petróleo operando na região são avisadas para esvaziar suas equipes dentro das próximas 24 horas a fim de evitar que sejam parte das estatísticas de uma guerra civil emergente", declarou o MEND, num comunicado.

 

Em nota, o grupo diz ainda que um grupo aliado assumiu o controle do MV Spirit na quarta-feira, e sequestrou seus 15 tripulantes estrangeiros, se precisar a nacionalidade dos reféns.

 

O Movimento afirmou que os militares nigerianos lançaram na manhã de quarta-feira ataques sobre dois de seus campos no Estado do Delta. Num comunicado divulgado nesta quinta-feira, o grupo diz ter realizado dois ataques durante a noite sobre bases da polícia e do Exército na região. O grupo não informou detalhes sobre vítimas. Após a divulgação do ultimato de 24 horas, o MEND declarou que as equipes das companhias de petróleo têm até a meia-noite de sábado para sair.

 

O MEDN, que reivindica regularmente os ataques, sabotagens e sequestros na região há três anos, afirma atuar em nome da população local e da partilha adequada dos benefícios da exportação do petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériapetróleoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.