EFE/CRISTIAN HERNÁNDEZ
EFE/CRISTIAN HERNÁNDEZ

Guerrilheiro do ELN é morto e quatro são detidos em operação na Colômbia

Ações do Exército e da Marinha e menos de dez dias da instalação da mesa de diálogo formal em Quito, no Equador, também conseguiu desmobilizar outros 24 membros da guerrilha

O Estado de S. Paulo

18 de outubro de 2016 | 14h17

BOGOTÁ - As autoridades colombianas divulgaram na segunda-feira, 17, o balanço de duas operações realizadas no nordeste e no oeste do país: um guerrilheiro morto, quatro capturados e a desmobilização de outros 24 membros do Exército de Libertação Nacional (ELN). O governo do presidente Juan Manuel Santos e a guerrilha do ELN vão iniciar negociações formais de paz em 27 de outubro em Quito, no Equador, onde será instalada a mesa pública de diálogo.

A primeira operação foi realizada contra "a comissão de ordem pública e a de finanças da frente José Adonaí Ardila Pinilla", no município de La Salina, Departamento (Estado) do Casanare (nordeste), relatou o Exército, em um comunicado, acrescentando que um guerrilheiro morreu, e quatro foram capturados.

Entre os capturados, estão "Julián", cabeça da Comissão de Finanças, "Lucho Chino", chefe da Comissão de Ordem Pública da frente, além de um homem que ficou ferido e foi identificado como "Patón", líder dessa brigada, acrescentou a mesma fonte.

Na segunda operação, a Marinha Colombiana informou a desmobilização de 24 membros da frente Cimarrón, do ELN, no Departamento de Chocó (oeste).

"#Atención@armadacolombia conseguiu a desmobilização de 24 integrantes da Frente #ResistenciaCimarron do #Eln em #Pizarro#Chocó", declarou o Ministério da Defesa em sua conta do Twitter. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.