Guerrilheiros chechenos recusam água e comida para reféns

Os guerrilheiros chechenos que mantêm cerca de 700 reféns em um teatro de Moscou se recusaram a receber um lote de bebidas e alimentos que seria distribuído entre os prisioneiros, informa a CNN de Moscou. Os serviços de segurança russos tentavam abrir caminho para reabastecer o teatro com comida, mas receberam uma resposta negativa dos chechenos. Os reféns estão detidos desde a noite de ontem.Os guerrilheiros disseram que a única maneira de pôr fim à situação é a Rússia retirar suas tropas da Chechênia. No entanto, o líder do partido político russo Iabloko, reformista, Grigori Iavlinski, mantém negociações com o comando checheno. Iavlinski chegou hoje a Moscou. Sua presença havia sido requisitada pelos seqüestradores, assim como a dos líderes do partidos União das Forças de Direita, Boris Nemtsov e Irina Khakamada.Os três líderes políticos são conhecidos por se oporem à guerra na Chechênia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.