Guia egípcio toma quatro alemães como reféns

Em uma desesperada tentativa de obrigar sua mulher a lhe devolver seus filhos, que foram para a Alemanha, um guia egípcio tomou como reféns quatro turistas alemães, informou nesta terça-feira a polícia do Cairo.Segundo as fontes policiais, que pediram para não serem identificadas, Ibrahim Ali el-Sayyed Moussa, de 45 anos, seqüestrou os alemães na segunda-feira, em uma zona ao sul da antiga cidade de Luxor.Os policiais acrescentaram que o guia egípcio utiliza um telefone celular para falar com as autoridades alemãs e que se recusa a falar com a polícia local e com os diplomatas alemães no Egito. O seqüestrador mantém os reféns em algum lugar entre Luxor e Esna, duas cidades faraônicas às margens do rio Nilo, um local baastante explorado pelos turistas. Segundo as autoridades policiais, a esposa alemã de Moussa foi para a Alemanha com seus dois filhos menores, de três e sete anos. A filha mais velha, que freqüenta a escola secundária, ficou no Egito com o pai. Não ficou claro há quanto tempo a família se separou, mas sabe-se que Moussa se casou com a alemã em 1991 e que esta regressou a seu país há um ano e meio após uma briga conjugal. O seqüestrador, afirmaram os policiais, disse que não libertará os quatro turistas até ver seus filhos chegarem ao aeroporto de Luxor. O governo alemão informou ter enviado a Luxor um representante da embaixada alemã. O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Joschka Fischer, falou com seu colega do Interior, Otto Schily, sobre o envio ao Egito de uma força alemã de resgate, mas as autoridades do Cairo rejeitaram a idéia, informou o porta-voz da chancelaria Andreas Michaelis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.