Justin Sullivan/Getty Images/AFP
Justin Sullivan/Getty Images/AFP

Guia turístico de São Francisco é acusado de ser agente do governo chinês

Homem de 56 anos teria repassado informações confidenciais dos EUA a Pequim

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2019 | 22h04

SÃO FRANCISCO - Um guia turístico de São Francisco, no Estado americano da Califórnia, foi acusado de ser um agente do governo chinês e de fornecer informações confidenciais sobre os Estados Unidos para Pequim. Xuehua Peng, de 56 anos, também conhecido como Edward Peng, foi preso na sexta-feira em Hayward, na área de subúrbio da cidade. No mesmo dia, em sua aparição inicial no tribunal, ele teve a fiança negada. 

"A conduta vista neste caso implica uma combinação de espionagem antiga e tecnologia moderna", disse o procurador americano David Anderson. "O réu Xuehua Peng é acusado de executar 'dead drops' (método usado para passar informações ou itens para outra pessoa em locais combinados, sem precisar de um encontro direto), de fazer pagamentos e de pessoalmente levar para Pequim, China, dispositivos eletrônicos contendo informações confidenciais relacionadas à segurança nacional dos Estados Unidos", Anderson afirmou. 

Peng não é acusado pessoalmente de roubar segredos do governo americano, mas é acusado de agir como um mensageiro que, entre outubro de 2015 e junho de 2018, teria conseguido informações de "dead drops" e as repassado a oficiais do Ministério de Segurança do Estado, a agência de inteligência da China. 

Agentes do FBI, a polícia federal americana, começaram a conduzir a vigilância de Peng depois de receberem uma informação obtida por um agente duplo. Citado em documentos do caso apenas como "a Fonte", o agente duplo ouviu de oficiais do Ministério de Segurança do Estado em março de 2015 que "Ed", que tinha família e negócios na China, era de confiança. 

"Eu acredito que 'Ed' - mais tarde identificado como Peng - teve instruções em espionagem, praticava espionagem e sabia que estava trabalhando para oficiais de inteligência da República Popular da China", diz o agente do FBI Spiro Fokas em depoimento anexado ao caso. 

Se condenado, Peng, que trabalha como um guia para turistas chineses na área da Baía de São Francisco, pode pegar a sentença máxima de 10 anos de prisão e ter de pagar uma multa de US$ 250 mil. Ele deve retornar ao tribunal em São Francisco na quarta-feira. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.