Sheng Li/Reuters
Sheng Li/Reuters

Guiana acha petróleo em área disputada

Administrado pelo país, território é requerido por Caracas

GEORGETOWN, O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2015 | 02h01

O governo da Guiana anunciou ontem que a empresa Exxon Mobil descobriu petróleo na costa do país, em uma região disputada com a Venezuela, o Esequibo. Administrado pela Guiana, o território é requerido por Caracas. A existência de petróleo no local deve acirrar a disputa e provocou críticas da oposição venezuelana, que acusa o presidente Nicolás Maduro de ignorar a questão.

"Estamos otimistas com o descobrimento de hidrocarbonetos em quantidades comerciais que transformará ainda mais a economia da Guiana", disse o gerente da Exxon no país Jeff Simons.

Uma fonte da chancelaria venezuelana disse à agência Efe que o governo chavista acompanhava a situação e estava ciente da descoberta, mas não faria comentários de maneira oficial.

Além da Exxon Mobil, participa também da operação no Esequibo a empresa chinesa National Offshore Oil Company.

Preços. Em meio à descoberta, o preço da cesta de petróleo venezuelana tem se recuperado. O barril do país fechou a semana cotado a US$ 56,74, em comparação com os US$ 54, 21 da semana passada.

"Os preços subiram impulsionados pela preocupação com a oferta líbia e também com a inesperada queda da reserva de petróleo dos Estados Unidos na semana passada", informou em comunicado o Ministério do Petróleo e Energia da Venezuela.

A queda no preço do barril teve um grave impacto na economia venezuelana, em crise desde 2013. No ano passado, o preço do barril superava os US$ 100, o que na prática fez com que o orçamento chavista, fortemente dependente da exportação da commodity caísse à metade em poucos meses. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.