Guiné: 33 morrem pisoteados após tumulto em show

Ao menos 33 pessoas morreram pisoteadas após um tumulto em um concerto de rap no final da noite desta quarta-feira em uma praia da capital da Guiné, Conacri, disseram autoridades.

AE, Estadão Conteúdo

31 de julho de 2014 | 01h57

As vítimas incluíam crianças a partir de 10 anos, sendo que a maior parte era de jovens. Muitos corpos foram levados a um necrotério da capital ainda vestidos com trajes de banho e sunga. Alguns tinham sangue na boca, o que segundo os médicos seria um sinal de hemorragia interna.

"Nós não estamos acostumados a ver um grande número de pessoas mortas assim ao mesmo tempo. É uma tragédia, esses jovens morreram no auge de suas vidas", disse um funcionário do Donka Hospital, onde os corpos aguardavam sepultamento.

O diretor do hospital, Fatou Sike Camara, informou que o número de mortos era de 33.

O presidente do país, Alpha Condé, foi à televisão nacional para declarar uma semana de luto nacional e prometeu uma investigação completa do caso. As praias da capital foram fechadas, sem aviso para serem reabertas.

O concerto de rap reunia cerca de 700 pessoas que celebravam o fim do mês sagrado para os muçulmanos, o Ramadã. Testemunhas disseram que o tumulto aconteceu depois que o show terminou, quando a grande multidão tentava sair através de um pequeno portão, a única forma de sair do local. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GuinéTumulto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.