Guiné revogará direitos de mineração da Vale

O governo da Guiné informou que planeja revogar os direitos de mineração de um dos maiores depósitos de minério de ferro do mundo. Um comitê de revisão de acordos de mineração no país informou que há evidência de que os direitos de exploração foram obtidos por meio de práticas corruptas e recomendou que fossem cancelados.

AE-AP, Agência Estado

19 de abril de 2014 | 13h57

Os direitos de mineração pertencem a uma joint venture entre a BSG Resources, do bilionário israelense Beny Steinmetz, e a brasileira Vale. Mas o relatório centra as alegações de irregularidades na BSG Resources. A empresa israelense informou que se defenderá das acusações. A Vale, por sua vez, disse não acreditar que tenha sido acusada de má conduta.

Os acordos também estão sendo investigados pelos Estados Unidos. O porta-voz do governo da Guiné, Damantang Camara, anunciou na noite de sexta-feira que o país africano seguirá a recomendação do comitê. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GUINÉMINERAÇÃOVALE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.