Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Thomas Coex/AFP
Thomas Coex/AFP

Guru da cloroquina, Didier Raoult tem hospital investigado pela polícia francesa

Institut hospitalo-universitaire (IHU) Méditerranée passou por operação de busca e apreensão na manhã desta segunda-feira, 14, dizem veículos locais

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2021 | 14h16

A polícia francesa realiza nesta segunda-feira, 14, uma operação de busca e apreensão no Institut hospitalo-universitaire (IHU) Méditerranée, hospital dirigido pelo médico e guru da cloroquina Didier Raoult. As informações são da France Bleu.

De acordo com o veículo, a operação foi iniciada às 9h30 da manhã (horário local, 4h30 no Brasil). Dezenas de agentes foram mobilizados. A investigação está relacionada a um relatório de 2019 da agência anticorrupção francesa que analisa ligações financeiras entre o instituto público IRD e o hospital de Raoult. À mídia, o advogado de Raoult, Brice Grazzini, disse que, como diretor do hospital, seu cliente não está relacionado ao caso. 

Raoult ficou conhecido no ano passado, após se tornar uma das vozes mais proeminentes a favor do uso da cloroquina no tratamento contra a covid-19. Por sua defesa do tratamento, que não tem eficácia comprovada, e declarações contra a indústria farmacêutica, a imprensa e a “elite de Paris”, Raoult acabou se tornando uma espécie de herói "antissistema" e angariou muitos seguidores. 

Em abril do ano passado, ele chegou a receber uma visita do presidente francês Emmanuel Macron. Em setembro, foi denunciado pela Sociedade de Patologia Infecciosa de Língua Francesa (SPILF), que o acusa de uma "promoção indevida do medicamento".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.