Guru indiano é detido após protesto contra corrupção

O guru espiritual e iogue Baba Ramdev e milhares de seus seguidores foram detidos pela polícia nesta segunda-feira quando tentavam realizar uma marcha até o Parlamento indiano com o objetivo de intensificar o protesto contra a corrupção e fazer pressão para uma mudança no governo.

AE, Agência Estado

13 de agosto de 2012 | 12h41

Ao ser levado pela polícia, Ramdev gritava palavras de ordem pedindo a seus seguidores que lutem para encerrar a corrupção endêmica na Índia e busquem a repatriação de bilhões de dólares que, segundo ele, alguns indianos têm escondidos em bancos no exterior.

Agitando bandeiras da Índia e gritando palavras de ordem, os manifestantes tiveram de entrar numa série de ônibus da polícia que estavam estacionados nas proximidades da feira de Ramdev, local ocupado pelos seguidores do guru havia quatro dias. A polícia disse que os manifestantes seriam levados para um estádio na periferia da cidade e deveriam ser libertados até a noite desta segunda-feira.

Antes do início da marcha, o guru pediu a seus seguidores que mandassem embora o Partido do Congresso, que está no governo, e criassem um governo "limpo". "Jogue fora o Congresso, salvem o país", gritava ele a seus seguidores.

Ramdev, que não comia havia quatro dias, havia estabelecido a noite de domingo como o prazo final para que o governo desse uma resposta a seu protesto, mas não recebeu qualquer comunicado.

"O governo se tornou completamente surdo. Temos de fazê-lo nos ouvir. Agora. Nosso protesto vai se transferir daqui para a entrada do Parlamento", disse Ramdev.

Ramdev havia dito a seus partidários que se preparassem para ir para a cadeira durante a marcha, já que a polícia iria tentar impedi-los se realizar uma manifestação perto do Parlamento. Ele pediu a seus seguidores que não reagissem e não recorressem à violência quando a polícia tentasse retirá-los de Ramlila Ground.

Ramdev tem exigido a implementação de uma lei forte para controlar o governo, uma central de investigações criminais forte e independente e esforços conta a evasão fiscal e o envio de dinheiro ilegal para bancos fora do país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaprotestoguruprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.