Guru indiano é internado após 7 dias de greve de fome

Swami Ramdev, o guru do ioga mais famoso da Índia, foi levado ao hospital nesta sexta-feira, sete dias após o início de sua greve de fome para protestar contra a corrupção, informou seu porta-voz. A pressão está aumentando para que o governo aceite suas exigências.

REUTERS

10 de junho de 2011 | 12h29

Ramdev, que viaja de jato particular e tem 30 milhões de telespectadores diários, está em greve de fome desde sábado, quando o governo usou policiais armados para forçá-lo a interromper seu jejum em Nova Délhi.

Autoridades locais do governo ordenaram que Ramdev fosse levado ao hospital, segundo a mídia local, enquanto a ativista Anna Hazare e o principal partido da oposição pediram ao partido governista no Congresso que chegue a um acordo com o guru sobre a repatriação de dinheiro ilegal e a aprovação de uma legislação contra a corrupção.

"(Ramdev) foi levado à UTI, no hospital Jolly Grant, em Dehradun, devido a uma baixa frequência cardíaca e corpos cetônicos encontrado na urina e à desidratação, sob recomendação do chefe do departamento médico", disse S.K. Tijarwala, porta-voz de Ramdev, em comunicado.

A indignação nacional com a corrupção tem aumentado no país enquanto o governo vive escândalo após escândalo, incluindo um esquema de licenciamento em telecomunicações que pode ter custado 39 bilhões de dólares.

Protestos contra a corrupção e a alta dos preços de alimentos e combustível aumentaram nos últimos tempos, apesar de a Índia ter evitado o tipo de manifestação que vem ocorrendo no Oriente Médio e no norte da África.

(Reportagem de Henry Foy)

Tudo o que sabemos sobre:
INDIAGURUFOME*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.