Há 13 meses em embaixada em Londres, Assange concorrerá ao Senado australiano

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, apresentou ontem o seu próprio partido, o Partido WikiLeaks, com o qual concorrerá a uma cadeira no Senado australiano em eleições previstas para 14 de setembro. Refugiado desde 19 de junho de 2012 na Embaixada do Equador em Londres, Assange tenta evitar sua extradição para a Suécia, onde é processado por supostos crimes sexuais. O partido de Assange apresentará outros seis candidatos, entre acadêmicos, jornalistas e ativistas, em três Estados da Austrália. O Partido WikiLeaks tem entre suas bandeiras a defesa dos direitos dos solicitantes de asilo, temas ligados ao meio ambiente e à liberdade de imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.