Há milhões prestes a morrer de fome na África, alerta ONU

Milhões de pessoas na região da África Oriental conhecida como Chifre da África estão "à beira da inanição" por conta de uma seca severa, com mortes já reportadas no Quênia, alertam as Nações Unidas. Estima-se que 11 milhões de pessoas precisam de ajuda alimentar. Água, sementes e gado também são necessários por toda a região, de acordo com a Organização para Agricultura e Alimentação (FAO). A agência emitiu um alerta especial, dizendo: "Milhões de pessoas estão à beira da inanição no Chifre da África, por conta das recentes secas e dos efeitos de guerras, passadas e atuais". Shukri Ahmed, economista da FAO, disse que a agência está emitindo esse alarme agora porque a estação seca está apenas começando, e as chuvas esperadas para março e abril provavelmente não serão suficientes.Ele explicou que, normalmente, os nômades da área se deslocam de área em área, em busca de água e forragem para o gado, mas que desta vez a seca cobriu uma área grande demais. A situação na Somália e no leste do Quênia é particularmente grave, e já há notícia de mortes no Quênia, de acordo com a FAO. Na Somália, as chuvas esperadas entre outubro e dezembro falharam na maior parte das oito áreas agrícolas do sul do país, " resultando em quebras de safra generalizadas", talvez as piores da década, segundo a FAO.No Djibuti, acredita-se que 150.000 pessoas, ou 20% da população, estejam sofrendo com falta de comida por causa da seca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.