Há razão para otimismo no Iraque, diz general americano

O novo comandante militar americano no Iraque, general David Patraeus, disse, em entrevista à BBC, que existe base para ser otimista em relação à nova estratégia de segurança recentemente anunciada pelos Estados Unidos.Segundo ele, tem havido menos ataques sectários no Iraque desde que duas das cinco brigadas extras prometidas recentemente pelo governo americano começaram a atuar. E ainda centenas de famílias já puderam voltar "para bairros que estavam literalmente vazios".Patraeus, que assumiu o posto em janeiro, disse que a operação de segurança deve durar meses, em vez de anos. "Mas os meses podem se esticar, dependendo do que acontecer", afirmou. "Não quero especular e gostaria de deixar esse tipo de declaração com Washington."SucessoO general disse que terá uma idéia melhor das chances de sucesso quando todos os 21,5 mil soldados anunciados estiverem posicionados no Iraque."Até o início de junho, devemos ter praticamente todos os soldados em seus lugares", afirmou. "Isso vai nos permitir estabelecer a densidade necessária para conseguir tomar as rédeas da situação, em parceria com as forças de segurança iraquianas."Ele também prometeu que vai falar abertamente ao governo americano se achar que a nova estratégia não estiver funcionando."Tenho um compromisso com esses jovens soldados, rapazes e moças, que estão atuando aqui. E esse compromisso é, se eu achar que não está dando certo, de dizer a eles que não vai dar certo e que será necessário mudar", disse.O envio de mais soldados pelos Estados Unidos faz parte de uma nova estratégia anunciada em dezembro pelo presidente George W. Bush, e que visa combater os ataques insurgentes e a violência entre xiitas e sunitas.O número mensal de mortos no Iraque atingiu um recorde em outubro passado, quando passou os 3,7 mil, segundo um relatório da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.