Há uma crise nas organizações multilaterais, diz analista

"Nós estamos assistindo a um grande deslocamento de alinhamentos no mundo, crises de organizações multilaterais, como a União Européia, chefes de Estado que nem sequer se olham. É um quadro extremamente perigoso." A análise é do professor de Relações Internacionais da PUC-RJ, Luís Fernandes, para quem a decisão dos Estados Unidos de invadir o Iraque sem o aval da ONU está provocando rápidas e profundas mudanças geopolíticas no mundo. "É difícil retratar a gravidade da situação que esta Guerra deflagrada pelos Estados Unidos contra o Iraque representa para o mundo", sustentou Fernandes durante entrevista ao Jornal das Dez. "Mais do que uma simples ação unilateral de força, ela representou na verdade a ruptura e o desmantelamento do sistema de segurança coletiva vigente no mundo até aqui."Novo papel da ONUO professor avalia que a atitude americana não tem nenhum respaldo no sistema de segurança coletiva das Nações Unidas e coloca em cheque a própria existência da entidade. "A parte da Carta das Nações Unidas que trata da possibilidade do uso da força deixa explícito que apenas a autorização e um pedido do Conselho de Segurança da ONU pode tornar legítima uma ação de força no sistema internacional", destaca Luís Fernandes. "O discurso do governo Bush quer redefinir o papel da ONU: ela deixaria de ser um pilar de um sistema de segurança coletivo no mundo para assegurar a paz e estabilidade e se tornaria uma mera organização de ajuda humanitária."Veja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.