Hackers assumem autoria de ataque a site da CIA

Página da web é invadida por mesmo grupo que danificou computadores do Senado dos EUA no início da semana

Reuters e AP, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2011 | 00h00

O grupo de hackers Lulz Security, que havia invadido os computadores do Senado dos EUA no início da semana, assumiu a responsabilidade por problemas enfrentados pelo site da CIA durante a tarde de quarta-feira. Segundo a Reuters, as páginas da agência de inteligência americana saíram do ar durante o ataque.

Após ficar inacessível, o site da CIA funcionou de forma esporádica. Os hackers danificaram as páginas, publicaram informações pessoais de clientes e administradores de outros portais da internet e revelaram configurações de rede de alguns sites.

Analistas não deram muita importância ao ataque, afirmando que a ação foi apenas uma tentativa de chamar a atenção. O especialista em segurança digital Jeffrey Carr afirmou que dados "sensíveis" da CIA permaneceram protegidos durante do ataque. "Tudo o que eles estavam fazendo era dizer: "Olhem como somos bons, a segurança (do site) é uma droga"."

A invasão também não comprometeu a rede interna de dados da CIA. Na manhã de ontem, o acesso ao site da agência já havia se normalizado. O Lulz Security assumiu responsabilidade por tirar do ar o site da TV pública americana PBS depois de a emissora ter exibido um documentário considerado crítico ao fundador do WikiLeaks, o australiano Julian Assange.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.