Hackers atacariam justiça britânica se Assange for extraditado, diz jornal

Prisão onde fundador do WikiLeaks é mantido também seria potencial alvo do grupo Anonymous

Efe

12 de dezembro de 2010 | 10h07

LONDRES - O grupo de hackers ativistas Anonymous, que nos últimos dias atacou os sites das empresas de pagamentos MasterCard, Visa e PayPal, ameaça sabotar o sistema Judiciário britânico, caso o fundador do site WikiLeaks, Julian Assange, seja extraditado do Reino Unido para a Suécia, informa neste domingo, 12, o diário The Sunday Times.

 

Veja também:

especialEspecial: Por dentro do WikiLeaks

blog Radar Global: principais vazamentos do 'cablegate'

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o assunto

 

De acordo com o jornal, os ativistas lançariam um ataque contra o sistema informático do Serviço Público de Processamentos (CPS, na sigla em inglês) e outros departamentos governamentais relacionados à extradição de Assange, solicitada pelas autoridades suecas. O ataque seria uma medida de protesto.

 

O "Anonymous" também poderia atacar o sistema da prisão de Wandsworth em Londres, onde o ativista australiano, de 39 anos, está preso, acrescenta o jornal.

 

O fundador do site WikiLeaks, que nas últimas semanas divulgou documentos secretos da diplomacia dos EUA, está em prisão preventiva nesse centro de detenção, à espera de uma nova audiência na Justiça, a ser realizada na próxima terça-feira.

 

Os advogados de Assange devem voltar a pedir a liberdade condicional para seu cliente, que lhe foi negada na primeira audiência por temor de descumprimento. Assange já havia dito nessa primeira audiência que contestaria sua extradição à Suécia, onde é acusado por crimes sexuais contra duas mulheres.

 

O Sunday Times assinala que, até o momento, cerca de 35 mil pessoas - das quais 3 mil vivem no Reino Unido - fizeram o download da ferramenta que permite participar dos ataques coordenados pelo "Anonymous" na chamada Operação Payback.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.