Hackers invadem site do tribunal que julgou a Pussy Riot

Hackers invadiram o site do tribunal do distrito de Khamovnichesky, que condenou as integrantes da banda feminista Pussy Riot a dois anos de prisão, e colocaram uma nova música das punks, chamada "Putin is Lighting the Fires of the Revolution", e um vídeo do cantor gay búlgaro Azis.

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 10h50

Os protestos do lado de fora do tribunal diminuíram, mas a revolta contra a decisão da juíza permanece forte na internet. Integrantes da seção norte-americana do coletivo de hackers Anonymous assumiram a responsabilidade pela invasão, dizendo para a BBC russa, em comunicado, que "nós não esquecemos ou perdoamos. Tirania não pode julgar".

A Pussy Riot tornou-se famosa internacionalmente após as integrantes terem sido presas por causa de uma performance contra o presidente Vladimir Putin na principal catedral da igreja Ortodoxa em Moscou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
RússiahackersPussy Riot

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.