Haia: Israel pode ter cometido crimes de guerra

A promotoria da Corte Penal Internacional decidiu nesta quinta-feira que Israel pode ter cometido crimes de guerra ao destruir um barco de ajuda humanitária que iria para a faixa de Gaza em 2010, mas que a ação não foi grave o suficiente para que se abrisse um processo.

Estadão Conteúdo

06 de novembro de 2014 | 14h33

"Concluí que há base razoável para acreditar que crimes de guerra sob a jurisdição da Corte Penal Internacional foram cometidos sobre uma das embarcações, a Mavi Marmara, quando as forças de Defesa israelenses interceptaram a "flotilha Liberdade Gaza" em 31 de maio de 2010", afirmou a promotora Fatou Bensouda.

Contudo, Bensouda acredita que casos relacionados ao ataque "não são de gravidade o suficiente para justificar ações pela Corte".

Nove pessoas morreram e dezenas de ativistas pró-Palestina ficaram feridos no ataque. Um advogado turco que representa o Estado de Comoros, Ramazan Ariturk, disse que não pretende desistir do caso."Estamos perseguindo uma luta moral. É uma luta legal; uma luta em nome da humanidade", afirmou Ariturk. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
HaiaIsraelcrimes de guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.