Haia pede que EUA que suspendam execuções de mexicanos

O Tribunal Internacional de Haia ordenou nesta quarta-feira aos EUA que suspendam temporariamente as execuções de três mexicanos condenados à morte.Por decisão unânime, o comitê de 15 juízes disse que as execuções devem ser suspensas temporariamente, enquanto a corte das Nações Unidas investiga se, enquanto eram processados, os condenados - junto com outros 48 mexicanos igualmente condenados à morte nos EUA - puderam manter contato com as autoridades consulares de seu país, como determinam os tratados internacionais. O tribunal é o órgão da ONU destinado a resolver disputas entre países. Não tem autoridade para fazer cumprir suas determinações, e já foi ignorado pelos EUA em ocasiões anteriores.Ao ler a sentença emitida hoje, o juiz-presidente do tribunal, Gilbert Guillaume, disse que o argumento do México se apóia na tese de que executar os mexicanos seria um golpe "irreparável" para seus direitos se, em seguida, o tribunal vier a decidir a favor do México. "Os EUA devem tomar todas as medidas necessárias para garantir que os acusados não sejam executados enquanto continuar pendente a sentença definitiva neste processo", acrescentou. Os acusados em questão são César Fierro, Roberto Ramos e Osvaldo Torres Aguilera. Todos os três já esgotaram seus direitos de apelação e as datas de execução deveriam ser marcadas em breve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.