Haiti constata fraudes também no segundo turno da eleição presidencial

Divulgação dos resultados, marcada para 31 de março, foi adiada para 4 de abril

estadão.com.br

30 Março 2011 | 19h55

PORTO PRÍNCIPE - O Conselho Eleitoral Provisório do Haiti anunciou nesta quarta-feira, 30, que houve fraudes no segundo turno das eleições presidenciais de 20 de março. De acordo com o órgão, cerca de 1.518 atas de votação - ou 14% do total - foram consideradas inválidas por ser "visivelmente fraudulentas", informa a agência AFP.

 

O chefe do Conselho Eleitoral Provisório, Witmack Matador, porém, não soube dizer se a porcentagem de votos anulados vai interferir nos resultados finais das eleições. Os dois candidatos que disputam a presidência - o cantor pop Michel Martelly e a ex-primeira-dama Mirlande Manigat - se consideram ganhadores do pleito. O Conselho, porém, pediu que eles aguardem a divulgação dos dados definitivos para reclamar vitória.

 

"O trabalho efetuado no centro de contagem é muito rigoroso", disse Colin Granderson, chefe da missão de observação eleitoral da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da Comunidade do Caribe (Caricom). Segundo ele, o processo leva tempo "porque o Conselho leva em conta os critérios recomendados pela OEA".

 

Na terça-feira, o órgão já havia anunciado que a divulgação dos resultados, prevista para a próxima quinta-feira, 31, foi adiada para 4 de abril. Fraudes também haviam sido constatadas no primeiro turno das eleições haitianas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.