Reginald LOUISSAINT JR/AFP - 20/08/21
Reginald LOUISSAINT JR/AFP - 20/08/21

Haiti: danos do terremoto dificultam chegada de ajuda a áreas remotas

Na principal estrada de montanha do país, deslizamentos de terra e rachaduras no asfalto complicaram a chegada de auxílio a comunidades agrícolas

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2021 | 08h22

PORTO PRÍNCIPE - Estradas danificadas ou intransitáveis estavam complicando até esta sexta-feira, 20, os esforços para levar ajuda a partes remotas do Haiti devastadas pelo terremoto que matou mais de 2 mil pessoas na semana passada.

Na principal estrada de montanha do país, entre Les Cayes, cidade do sudoeste, e Jeremie, no noroeste, duas das áreas urbanas mais atingidas, deslizamentos de terra e rachaduras no asfalto dificultaram a chegada de auxílio a comunidades agrícolas atualmente lutando com a insegurança alimentar e o acesso a água potável.

A rota estava repleta de rochas, o que fez com que os caminhos ficassem impossibilitados em alguns pontos. 

País mais pobre das Américas, o Haiti ainda estava se recuperando de um terremoto de 2010 que matou mais de 200 mil pessoas.

O país se tornou ainda mais instável após o assassinato do presidente Jovenel Moïse no mês passado, cometido pelo que autoridades dizem ter sido um grupo de mercenários majoritariamente colombianos.

Uma tempestade intensa que assolou o Haiti mais cedo nesta semana, desencadeando deslizamentos de terra, também tornou mais difícil encontrar vítimas do tremor de sábado, que destruiu dezenas de milhares de casas e ceifou as vidas de ao menos 2.189 pessoas.

O terremoto também deixou 12,2 mil feridos, e o número de vítimas deve aumentar à medida que os esforços de resgate prosseguem, disseram autoridades. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Haiti [América Central]terremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.