Haiti declara encerrada fase de busca e resgate no país

O governo do Haiti declarou neste sábado encerrada a fase de busca e resgate por sobreviventes no país que foi devastado pelo terremoto dez dias atrás, segundo comunicado das Nações Unidas. O Escritório de Coordenação Humanitária confirmou que 132 pessoas foram resgatadas dos escombros com vida pelos times de busca internacionais.

AE-AP/DJ, Agencia Estado

23 de janeiro de 2010 | 09h25

A decisão foi tomada dois dias após o resgate de duas vítimas, uma mulher de 84 anos e um homem de 22 anos. Neste sábado, muitos sobreviventes devem se reunir na capital para o funeral do arcebispo Joseph Serge Miot, em Porto Príncipe, próximo às ruínas da capital.

No período, 67 equipes de busca e resgate, trabalhando com 1.918 pessoas e 160 cachorros, percorreram as ruínas de Porto Príncipe e dos vilarejos ao sul do Haiti na busca por sinais de vida em casa e prédios destruídos. Trabalhadores de apoio disseram que um número recorde de pessoas foi deslocado para um desastre deste porte.

As entregas de alimentos, água, abrigos e medicamentos para centenas de milhares de pessoas estão sendo realizadas na capital haitiana e nas cidades mais afetadas pelo terremoto, Jacmel e Leogane.

Uma enorme onda de deslocamento está ocorrendo no país, muitos com o apoio de órgãos oficiais, uma vez que milhares de pessoas estão seguindo para outras partes do país não atingidas pelo terremoto.

"O número de pessoas deixando Porto Príncipe está crescendo diariamente", segundo a ONU. A organização informou que mais de 130 mil pessoas aproveitaram a oferta de transporte gratuito do governo e deixaram a capital. "O número de pessoas que partem por meios privados permanece indeterminado".

A Agência das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) estima que o número de pessoas que fugiram para as áreas rurais pode chegar a um milhão.

Agências de apoio humanitário, que já se encontravam no país antes do terremoto, reportaram a chegada de sobreviventes na área mais central, em Saint Marc, Anse-a-Galets, e Gonave Island, na região oeste, muitos ainda feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
Haititerremotobusca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.