Haiti espera problemas com desabrigados vítimas do terremoto

Primeiro-ministro diz que não será possível construir uma casa para todos os prejudicados pelo sismo de janeiro

Efe,

29 de junho de 2010 | 03h12

SANTO DOMINGO - O primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, admitiu nesta segunda-feira que há frustração entre os milhares de haitianos deslocados em decorrência do terremoto de janeiro e advertiu que o Governo espera "problemas" perante essa situação.

"Estamos à espera de problemas, pois não poderemos construir uma casa para todos os que a perderam", afirmou o premiê durante breve entrevista coletiva no Palácio de Governo dominicano, onde se encontrou com o presidente do, René Préval.

Bellerive, no entanto, assegurou que o Governo haitiano está fazendo "todos os esforços" para que os deslocados, que segundo números oficiais somam 1,2 milhões, vivam em um ambiente aceitável.

"Sabemos que há frustração (nos refugiados), claramente, até agora há esforço do povo por enfrentar a situação, mas a frustração perante ações nas quais não estão incluídos é evidente", lamentou o primeiro-ministro haitiano.

No entanto, foi enfático ao assegurar que os fundos prometidos pela comunidade internacional para a reconstrução do Haiti "chegarão e estão chegando".

"Não tenho nenhuma dúvida em crer que os fundos prometidos chegarão, já que estamos trabalhando com a Comissão Interina de Reconstrução, que está atenta aos compromissos que foram tomados em Nova York e em Punta Cana (Repúlica Dominicana)", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.