Haiti pode ter nova crise de alimentos depois de tempestades

O Haiti enfrenta uma crescentecrise depois que as tempestades destruíram boa parte dasplantações de arroz do país, o que desperta temores de que asintensas lutas por comida -- que derrubaram o governo no começodo ano -- voltem a acontecer. As tempestades mataram centenas de pessoas e forçaramdezenas de milhares a sair de suas casas, na cidade deGonaives. A cidade é capital da região de Artibonite, centroprodutor de arroz que sofreu severos danos por causa daschuvas. O grupo humanitário Christian Aid estima que cerca de umterço da produção anual haitiana de arroz, que é de 60 miltoneladas, tenha sido arruinada pelas enchentes. Os danos são dos mais sérios porque vieram no período maiscomplicado. As perdas serão sentidas com mais intensidade pelasfamílias mais pobres, que plantam e colhem, e por aqueles quenão têm capital para reinvestir. Também pode haver um grande impacto sobre o setoralimentício como um todo. "Pode haver interrupções de preços que podem causarconflitos, numa situação similar à que aconteceu em abril. Apopulação pode ficar muito frustrada", disse Prospery Raymond,representante da Christian Aid no Haiti. Os alimentos são uma questão política muito importante nanação caribenha, o país mais pobre do ocidente. A desnutrição éexcessiva no Haiti, onde muitas pessoas vivem com menos de 2dólares por dia. As revoltas de abril, ocorridas devido aos preços dosalimentos, mataram pelo menos cinco pessoas, incluindo ummembro da força de paz da ONU, além de derrubar o governo doprimeiro-ministro Jacques Edouard Alexis, aliado do presidenteRené Préval.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.