Haiti promete novas eleições

Diante da pressão internacional e da possibilidade de um isolamento regional, o presidente do Haiti, Jean-Bertrand Aristide, propôs realizar novas eleições no próximo ano, anunciou a Organização dos Estados Americanos (OEA). Em seu discurso inaugural da assembléia da OEA, neste domingo, o secretário-geral, Cesar Gaviria, anunciou que Aristide fez a proposta em uma carta enviada à organização hemisférica. Em troca, Aristide pediu à OEA que seja reiniciada a ajuda estrangeira ao país. Seu governo perdeu milhões de dólares em assistência devido aos conflitos locais e à recusa de Aristide em negociar com a oposição, atendendo a pressões internacionais. Aristide também concordou em ordenar a renúncia de sete senadores - todos de seu grupo - escolhidos em eleições legislativas questionadas pelos observadores da OEA e de outras organizações internacionais. A oferta de Aristide será o principal tema da pauta desta segunda-feira da assembléia da OEA. Em seu discurso inaugural no evento, Gaviria lembrou que nas eleições hatianas passadas "os resultados foram manipulados... para calcular as porcentagens e determinar as cadeiras no Senado". Da assembléia da OEA, inaugurada neste domingo à noite, participam chanceleres e representantes de 34 países-membros e delegações de vários países observadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.